sábado, 21 de maio de 2016

Fã tenta matar Ana Hickmann e é morto a tiros por outro fã

 

Homem invadiu apartamento no Caesar Business e tentou atirar na apresentadora. Depois de acertar a concunhada de Ana, foi morto por um homem ainda não identificado






Na tarde desse sábado a cocunhada e assessora da apresentadora Ana Hickmann foi vítima de disparos por arma de fogo no Hotel Caesar Business, no bairro Belvedere, região Sul da capital. A mulher foi levada para o hospital Biocor e está sendo submetida a uma cirurgia.
Apesar de ainda não ter feito pronunciamento oficial, a Polícia Militar confirmou que o alvo dos disparos era a apresentadora. Um homem, ainda não identificado conteve o atirador e o baleou. O atirador morreu no hotel. 
Anna Hickmann iria participar de lançamento de coleção de roupas na tarde desse sábado, no bairro Belvedere, em Belo Horizonte. 

Servidor da Polícia Civil é novamente acorrentado ao Banco do Brasil



Depois de anos com liberdade para escolha novamente o servidos da Polícia Civil de Minas Gerais será obrigado a receber seus vencimentos pelo Banco do Brasil.

Não foram informadas as razões da decisão mas muitos servidores não gostaram da medida considerando que o Banco do Brasil cobra taxas para quase todos os procedimentos.
Em muitos casos servidores optaram por deixar o Banco do Brasil por questões de má qualidade dos serviços prestados.

Juros na alturas.

Os juros do Banco do brasil se comparado ao das Credis ligadas ao Bancoob e também é muito maior chegando a 300% a diferença o que deixa os servidores de cabelo em pé.  




Exibindo IMG-20160514-WA0013.jpg
Exibindo IMG-20160514-WA0013.jpg

A primeira-dama e o hacker

Depois de Marcela Temer ter seu celular clonado, ela e familiares passam 45 dias na mira de um chantagista. A prisão do criminoso envolveu quarenta policiais

Por: Ullisses Campbell

20/05/2016 às 21:53 - Atualizado em 20/05/2016 às 21:53
Marcela Temer: Irmão pagou 15 000 reais a hacker que ameaçava divulgar fotos íntimas da mulher do presidente interino
Marcela Temer: Irmão pagou 15 000 reais a hacker que ameaçava divulgar fotos íntimas da mulher do presidente interino



O hacker que, no início de abril, clonou o celular de Marcela Temer e chantageou sua família com a ameaça de divulgar fotos íntimas dela afirmou à polícia que, num primeiro momento, não sabia que sua vítima era a mulher do então vice-presidente da República. Em depoimento a que VEJA teve acesso, Silvonei José de Jesus Souza, de 35 anos, contou que pinçou o nome de Marcela de um HD pirata que continha dados pessoais de assinantes de um portal da internet.

Ele confessou que, depois de invadir os arquivos da hoje primeira-dama, extorquiu 15 000 reais do irmão dela, Karlo Tedeschi. Disse ainda que, ao saber quem era Marcela, tentou avançar na extorsão e obter mais 300 000 reais. Souza foi detido no último dia 11 em Heliópolis, na Zona Sul de São Paulo, em uma operação de cinema, que envolveu quarenta agentes à paisana em onze carros. Ele está preso na carceragem da Divisão Antissequestro e deve ser indiciado por extorsão.

O caso corre sob sigilo de Justiça.
O hacker disse que teve acesso a fotos de Marcela quando explorava aleatoriamente os arquivos do HD pirata, que ele adquiriu no bairro paulista de Santa Efigênia, reduto de comércio de eletrônicos. De posse de agenda de contatos de Marcela, clonou seu celular e escreveu a Karlo Tedeschi fingindo ser a primeira-dama. Na mensagem, a falsa Marcela dizia ao irmão estar sendo chantageada por um hacker que teria em seu poder duas fotos íntimas dela e pedia que depositasse 15 000 reais em uma conta bancária para que o bandido não divulgasse o material. Karlo Tedeschi caiu no trote e fez o depósito dos 15 000 reais no dia seguinte.

Duas semanas depois, ao saber que sua vítima era a mulher do então vice-­presidente da República, Souza decidiu partir para um ataque mais ambicioso. Passou a ouvir todas as mensagens de áudio do celular de Marcela armazenadas em sua conta no Whats­App. Selecionou trechos que julgou comprometedores e, desta vez, procurou a própria Marcela, de quem exigiu 300 000 reais sob pena de divulgar uma mensagem em que ela dava conselhos políticos ao irmão. Karlo Tedeschi é filiado ao PSDC e está em pré-campanha para vereador no município de Paulínia, berço da família Tedeschi. Nesse momento, quando Souza abordou Marcela, o impeachment de Dilma Rousseff estava prestes a ser votado no Senado, e Temer já começava a montar seu ministério.


Em uma das viagens que fez a São Paulo, no fim de abril, o vice teve um encontro reservado com o então secretário de Segurança Pública do estado, Alexandre de Moraes - que acaba de tomar posse como titular do Ministério da Justiça. No encontro, Temer contou o que estava ocorrendo e pediu que prendessem o hacker chantagista o mais rápido possível. Moraes recrutou policiais de estrita confiança no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e determinou que a operação fosse conduzida pelo delegado especial Rafael Correa em absoluto sigilo.

Na manhã do último dia 11, quando a mulher de Souza se dirigia a uma creche em Heliópolis onde diariamente deixa seus filhos, foi surpreendida por um vasto cerco policial. Detida, ela conseguiu enviar uma mensagem ao celular do marido, avisando que a polícia estava no seu encalço. Souza, então, sem saber que seu telefone já estava sendo monitorado, ligou para um advogado amigo. A ligação permitiu que a polícia o localizasse e o hacker foi preso logo depois da mulher, ainda nas proximidades de seu apartamento. A polícia prendeu outros dois homens, um deles dono da conta bancária que recebeu os 15 000 reais depositados pelo irmão de Marcela. À exceção do hacker, os detidos já estão em liberdade. A investigação encontra-se agora no Departamento de Inquéritos Policiais e Polícia Judiciária (Dipo), nas mãos do coordenador da divisão, o juiz corregedor Antonio Maria Patiño Zorz. De lá, a peça será encaminhada ao Ministério Público, onde poderá ser oferecida como denúncia à Justiça ou arquivada. O promotor que pegar o caso pode ainda achar que faltam provas suficientes para transformar o hacker em réu e pedir novas diligências.

Um dos envolvidos na operação relatou a VEJA que os investigadores chegaram a cogitar a possibilidade de que por trás da ação do hacker estivesse uma organização partidária interessada em causar danos políticos a Temer. Nada encontraram nesse sentido. "Vasculharam a vida dele (Souza) de cabo a rabo. Quando o prenderam, sabiam desde a data de nascimento da sua mãe até o dia do falecimento da sua avó." Os cuidados para manter total sigilo sobre a investigação incluíram até mesmo a omissão do nome dos envolvidos nas principais peças do inquérito policial.

No depoimento dado por Souza, por exemplo, todos os nomes que ele citou foram substituídos por codinomes. Quando o hacker fazia menção a Marcela, o escrivão registrava "Mike". Quando o hacker se referia a ele próprio, o nome que ia para os autos era "Tim". Karlo, o irmão da primeira-dama, virou "Kilo".

Segundo consta no depoimento do hacker, as fotos íntimas apenas mostravam a primeira-dama de lingerie. Não é nada devastador, mas só exibicionistas não se incomodam em ter sua intimidade exposta dessa forma. O trecho do áudio, no entanto, é intrigante porque não parece justificar uma chantagem. No depoimento, o hacker diz que a gravação mostraria Marcela dizendo ao irmão que ele precisa "fazer como Michel, se aproximar dos pobres". Fica difícil entender o motivo pelo qual uma frase tão inofensiva como essa - ou melhor, até elogiosa - poderia ser usada contra alguém. Um participante do episódio mencionou a VEJA uma mensagem de conteúdo diferente, mas essa versão não consta nos autos.

Os áudios usados por Souza para extorquir Marcela Temer dificilmente virão a público. Mesmo que a Justiça decida na próxima semana suspender o sigilo do caso, o que é praxe ao término das investigações, é provável que os advogados de Marcela peçam a destruição das provas, incluindo fotos e áudios. Esse tipo de pedido costuma ser aceito pelos juízes, já que, em casos como esse, o que se julga é a prática de extorsão, e não o objeto dela. A medida é justa. Afinal, Marcela e seus familiares são vítimas e não precisam passar por novos constrangimentos.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Gente "boa":Filho mata mãe a pauladas dentro de casa em Abaeté


Suspeito confessou o crime; segundo a Polícia Civil, 

a motivação ainda será apurada durante as investigações

PUBLICADO EM 18/05/16 - 10h42
CAROLINA CAETANO

Um homem de 33 anos foi preso após matar a própria mãe,
 nessa terça-feira (17), em Abaeté, na região Cento-Oeste 

do Estado. A vítima foi assassinada a pauladas dentro de casa.

De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, 
Marieta Inácio da Silva foi encontrada no sofá da residência, 
localizada na rua Jader Moura, no bairro Simão da Cunha, 
com muito sangue pelo corpo. Ao lado dela estava um pedaço de pau.

A idosa chegou a ser encaminhada ao Pronto Socorro da cidade, 
mas não resistiu aos ferimentos. Durante o registro da ocorrência,
 uma pessoa contou que o filho da vítima confessou o crime. 




Ele apareceu no imóvel minutos depois e também afirmou para 
os militares que tinha matado a mãe. No entanto, o motivo 
não foi esclarecido. Segundo a Polícia Civil, a motivação do 
crime será apurada durante as investigações, há indícios de que
 o suspeito sofre de depressão. O criminoso foi encaminhado à 
Delegacia de Plantão de Abaeté.

terça-feira, 17 de maio de 2016

Lava a jato: Roberto coloca a "boca na trombeta" e delegado chefe de polícia de SP pode ser denunciado.

Segunda-Feira, 16 de Maio de 2016

Uma investigação do Jornal da Band aponta as ligações do delegado geral de São Paulo, Yousseff Abou Chain, com o contador Roberto Trombeta, que fechou acordo de delação premiada na Operação Lava Jato. Trombeta admitiu criar empresas de fachada no exterior por onde passaram o equivalente a quase 60 milhões de reais. Veja todos os vídeos doJornal da Band.

domingo, 15 de maio de 2016

Bandidos atacam residências de policiais militar e civil em Pompéu e Lagoa Santa

Perito tira impressões digitais no local em Pompéu

Em Pompéu, casa de escrivã foi arrombada e bens pessoais foram levados, incluindo pistola .40 da policial. Já em Lagoa Santa, imóvel de soldado foi alvejado por tiros e uma pessoa foi baleada




Em ações ousadas, bandidos ameaçaram uma policial civil e outra militar, que tiveram suas residências invadidas por criminosos em duas diferentes ocorrências registradas no estado na noite de ontem e manhã de hoje. No primeiro caso, em Pompéu, na Região Central, a escrivã da Polícia Civil (PC) Rilelys Braga de Vasconcelos, de 34 anos, lotada na delegacia da cidade, foi surpreendida com a porta da cozinha de sua casa arrombada e muitos pertences levados pelos criminosos.


A lista de objetos roubados inclui eletrônicos, eletrodomésticos, joias e, inclusive, sua pistola .040, do armamento da PC. De acordo com informações da Polícia Militar, responsável pelo boletim de ocorrências, uma mensagem foi deixada pelos bandidos no box do banheiro: “matar vc e seu marido espancador de preso”, dizia o texto escrito com creme dental. O ex-marido da policial civil, identificado como Renato Carlos Bernardo, de 35, é agente penitenciário.

Antes de sair, os assaltantes ainda não identificados, nem presos, ainda cortaram os pneus de dois carros e de uma moto que estavam na garagem da casa. A perícia esteve no local e a PC investiga o caso. Inicialmente, não há suspeito, segundo a PM.

Já em Lagoa Santa, foi a vez da soldado Geni Alves ter sido alvo de criminosos. Na tarde de hoje, ela teve sua casa alvejada por tiros. O imóvel fica na Rua Gonçalves, em Lagoa Santa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A militar estava na companhia de polícia e a situação ficou tensa na residência, já que uma pessoa, ainda não identificada, foi baleada. Viaturas da PM atenderam à ocorrência, mas o autor não foi identificado. Até o fim desta tarde, ninguém havia sido preso. Uma ligação anônima informou um possível endereço do autor e a polícia faz rastreamentos na região.

sábado, 14 de maio de 2016

Polícia caça delegado comunista foragido.

Resultado de imagem para protógenes queiroz
Delegado Protógenes Queiroz (PC do B-SP).
A 1ª Vara Federal Criminal de São Paulo expediu na sexta-feira (13) um mandado de prisão contra o ex-delegado da Polícia Federal (PF) e ex-deputado federal  Protógenes Queiroz, que chefiou em 2008 a Operação Satiagraha. As informações foram confirmadas neste sábado (14) ao G1 pela assessoria de imprensa da Justiça Federal, em São Paulo.
Ele também teve o nome incluído na lista vermelha da Interpol por causa de sua condenação por violação do sigilo funcional na operação e é considerado foragido internacional, segundo o Jornal Hoje. De acordo com a assessoria de imprensa da Justiça Federal, a juíza Andrea Silva Sarney Costa Moruzzi determinou a prisão de Protógenes porque ele não compareceu na sexta-feira a uma audiência.
Ao Jornal Hoje, o ex-delegado Protógenes alegou que é asilado político na Suíça desde 2015 e que não recebeu nenhuma intimação porque o processo está sob sigilo.
Em outubro de 2014, o Supremo Tribunal Federal (STF) condenou Protógenes a dois anos e 6 meses de prisão por violação de sigilo funcional qualificada. A pena, no entanto, foi convertida para uma pena alternativa, ainda segundo a Justiça Federal. Em 2015, ele foi expulso da PF.
A audiência de sexta-feira tinha como objetivo confirmar com Protógenes se ele estava cumprindo a pena alternativa. Como o ex-delegado não justificou a ausência, a magistrada transformou a pena alternativa em pena de prisão, de acordo com a assessoria.

Em reportagem publicada pelo G1 em 6 de abril, o site suíço "Sept" informou que Protógenes pediu asilo à Suíça, e que a solicitação foi aceita. O advogado do ex-delegado, Adib Abdouni, confirmou a informação à época. "Agora a residência dele é na Suíça", disse.
  •  
A Justiça Federal expediu na noite de sexta (13) um mandado de prisão contra o ex-delegado da Polícia Federal e ex-deputado federal Protógenes Queiroz (Foto: Antônio Cruz / Arquivo/ Agência Brasil)A Justiça Federal expediu na noite de sexta (13) um mandado de prisão contra o ex-delegado da Polícia Federal e ex-deputado federal Protógenes Queiroz (Foto: Antônio Cruz / Arquivo/ Agência Brasil)

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Após anulação de provas, concurso de Bom Despacho ainda não tem data marcada.


Executivo diz que 60 questões estavam na internet; Certame ocorreu dia 8.
ABS Concursos recorrerá e avaliará com jurídico o que pode ser feito.

Anna Lúcia SilvaDo G1 Centro-Oeste de Minas
Perguntas são fcilmente encontradas na internet, segundo comissão do concurso (Foto: G1)Perguntas são fcilmente encontradas na internet,
segundo Comissão do Concurso (Foto: G1)
Após a Prefeitura de Bom Despacho ter divulgado que a prova aplicada no concurso do último domingo (8) foi facilmente encontada na internet e ter anulado as questões, a empresa responsável, ABS Concursos, disse ao G1 que foi notificada na manhã desta sexta-feira (13) sobre a suspensão do certame. O representante da empresa informou para a reportagem que não tinha conhecimento do ocorrido. Agora, a ABS Concursos tem cinco dias úteis para se defender.
Ainda de acordo com a Prefeitura, a prova era composta por 100 questões, sendo que 60 foram encontradas em sites, blogs e apostilas online, inclusive com respostas. A presidente da Comissão do Concurso, Leila Gonçalve, também destacou que havia questões idênticas em provas para nível médio e superior.
A assessoria do Executivo enfatizou que o cancelamento do concurso causará prejuízos porque a Prefeitura tinha intenção de fazer contratações imediatas. Entretanto, avalia que o prejuízo maior é para os mais de 600 candidatos que contaram com essas datas e se prepararam. Novas datas ainda não foram pensadas, pois o Executivo aguarda a defesa da empresa.
Empresa
A ABS Concursos é uma empresa prestadora de serviços no ramo de concursos públicos e está há um ano no mercado. O sócio proprietário Rogério Borges, informou que já realizou provas de concursos para mais de 10 municípios, incluindo Bom Despacho. Ele contou que 20 profissionais fazem parte da comissão que elabora as questões.
Oito desses profissionais são mestres nas áreas de administração, direito e contabilidade. Parte deles leciona em importantes universidades como a Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e Universidade de Uberaba (Uniube).
Rogério disse, ainda, que o município propôs a realização do concurso dentro de um curto prazo. "Deram uma semana para que elaborássemos as provas. Tínhamos pleno conhecimento de que as questões deveriam ser inéditas e isso foi repassado para a comissão", disse.
Quando informou o que deveria ser feito e o prazo o qual a comissão deveria cumprir para entregar as questões, os integrantes questionaram e disseram que seria impossível finalizar dentro do prazo. "Eles mesmos disseram que seria impossível, mas afirmaram que deveríamos entregar o serviço". Rogério finalizou dizendo que recorrerá ao setor jurídico da empresa para avaliar o que pode ser feito.
Mesmo diante da posição dos integrantes da comissão, a empresa seguiu com o protocolo, realizou as provas e finalizou o trabalho com a aplicação. A ABS Concursos receberia R$ 11 mil pelo serviço e a metade desse valor seria pago após a aplicação. A Prefeitura só não efetuou o pagamento porque iniciou o processo de investigação na mesma ocasião em que recebeu a nota fiscal para pagamento.
Denúncia
Um participante do concurso fez a denúncia informando o possível plágio. Por e-mail ele comunicou a ouvidoria da Prefeitura, que várias questões estavam na internet. Diante da denúncia, responsáveis pelo concurso iniciaram as investigações para darem conta de que fato as perguntas e respostas estavam em sites. A constatação ocorreu nesta quinta-feira (12).
Se constado o plágio, a empresa estará sujeita à multa e será impedida de prestar serviços para o município de Bom Despacho dentro de cinco anos.
Escolha da empresa
A Comissão do Concurso da Prefeitura informou que ABS Concursos só foi escolhida porque na licitação ela ficou em segundo lugar. A empresa escolhida em 1º lugar recusou o serviço com a justificativa de que não conseguira cumprir com o cronograma. "No contrato diz que a empresa teria 180 dias para realizar o certame. Diante da recusa passamos o serviço para ABS Concursos que mesmo com o curto prazo, aceitou dar seguimento", defendeu a presidente da Comissão, Leila Gonçalves.
Após a defesa da empresa, o secretário de Administração Denis Carvalho dará a decisão final sobre uma nova data para realização das provas. "A maior preocupação é de que haja lisura no processo e que todos os candidatos tenham as mesmas oportunidades", disse a nota do Executivo.

Materia da parceira TV Alterosa: Policia Civil prende mais de 30 pessoas durante operação em Pompéu

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Questões do concurso de Bom Despacho estavam a disposição de todos na internet antes de serem aplicadas. Prova foi cancelada


Seleção para servidores municipais foi realizada no último domingo (8).
Nenhum responsável pelo concurso foi encontrado para falar do assunto.

Do G1 Centro-Oeste de Minas

Após suspeita de questões plagiadas, a Prefeitura de Bom Despacho anulou o concurso público realizado no último domingo (8) para seleção de servidores municipais. Segundo a assessoria, as questões da prova são facilmente encontradas na internet. Nenhum responsável pela  empresa organizadora do concurso foi encontrado para falar sobre o assunto. O G1 solicitou posicionamento e aguarda retorno.
De acordo com a assessoria, a Secretaria de Administração constatou que a empresa ABS Concursos, organizadora do Concurso 1/2016, colocou nas provas objetivas que aplicou diversas questões que podem ser encontradas na internet.
Entretanto, a Prefeitura exigia que todas as questões fossem inéditas. Portanto, o procedimento foi analisado como quebra de contrato. “Estamos tomando as medidas necessárias para apurar os fatos e garantir a lisura do processo. Após o direito de defesa, caso o plágio seja confirmado, a empresa será punida com os rigores da lei. A Prefeitura deverá contratar nova organizadora e os candidatos farão nova prova”, esclareceu o secretário de Administração, Denis Carvalho.
A reportagem ligou na Prefeitura para ter detalhes do cancelamento das provas, como por exemplo quantas questões foram encontradas na internet e sobre as novas datas de realização de um novo concurso, mas nenhum responsável atendeu as ligações.

Polícia realiza "Operação Escavador" em Pompéu.

A 13° Delegacia de Pompéu realizou na manhã desta quinta feira 12/05 uma mega operação policial " Operação Escavador" a operação conjunta teve o apoio de policiais militares e de uma aeronave do NOA Núcleo de Operações Aéreas da PCMG, além de dezenas de viaturas e centenas de policiais civis e militares, já passa de 20 o número de pessoas presas e apreendidas.
O blog




quarta-feira, 11 de maio de 2016

Polícia de Pompeu prende matador que espalhava terror na Volta do Brejo.

A Polícia Civil de Minas Gerais informa que, na madrugada desta quarta-feira, dia 11/05/2016 na capital mineira, foi devidamente cumprido Mandado de Prisão em desfavor de Matheus Phillipe Silva Ameno, vulgo *DOCA*, o qual é suspeito de inúmeros crimes dentre Homicídios, Tráfico de Drogas, Associação ao Tráfico de Drogas, Corrupção de Menores, Porte e Posse Ilegal de Arma de Fogo de uso restrito, dentre outros, praticamos na cidade de Pompéu-MG. Participaram da operação Policiais Civis da 4* Delegacia de Polícia Civil/Leste da  cidade de Belo Horizonte-MG e da 13* Delegacia de Polícia Civil de Pompéu-MG. Sociedade Consciente, Polícia mais Eficiente. Participe!

Homens armados invadem igreja rendem sacristão e roubam 9 mil em dízimo em Pompéu

Sacristão fazia contagem do dinheiro quando foi abordado pelos ladrões. Crime foi registrado neste domingo (8), ninguém se feriu.

Criminosos armados invadiram a Igreja São José Operário, no Bairro Volta do Brejo, em Pompéu, nesse domingo (8). De acordo com informações da Polícia Militar (PM), foram levados aproximadamente R$ 8.250 em dinheiro. Ninguém se feriu.

Uma mulher de 41 anos um jovem de 24 e o Sacristão de 26 anos, responsáveis pelo dízimo, disseram à polícia que após o fim da missa faziam a contabilidade do dinheiro, quando uma das vítimas abriu a porta que dá cesso à Rua Paraná e foi surpreendido por três criminosos armados.

Os suspeitos entraram na igreja, anunciaram o assalto e levaram o dinheiro e uma pasta de anotações. Após a ação eles fugiram em uma camionete Fiat Strada e até o momento não foram localizados

terça-feira, 10 de maio de 2016

Garoto de 11 anos se afoga em Lagoa construída pela Prefeitura de Pompeu


Um garoto de 11 anos de idade se afogou em um lago contruido pela prefeitura da cidade de Pompeu  Centro Oeste de Minas. O garoto estava com mais 2 amigos que passam bem. A vitima do afogamento era morador do bairro Várzea das Flores, a mãe estava trabalhando no Campo, área rural e foi trazida para a Cidade as pressas. sem o conhecimento da morte do filho. Segundo a Polícia a criança e os colegas saíram de casa para ir a escola mas teriam ido nadar em uma lagoa em um parque construção no bairro Ilha próximo ao centro da cidade de Pompeu.

domingo, 8 de maio de 2016

Moro pode assumir Ministério da Justiça



Qual será o futudo de Brasil caso o impeachment realmente aconteça? Michel Temer, vice-presidente, irá assumir e é sabido que ele tem os nomes para todos os ministérios caso a presidente Dilma Rousseff seja afastada na semana que vem.




Um dos nomes mais cogitados no meio político para assumir o Ministério da Justiça é o do juiz federal Sérgio Moro. Aliados de Temer apoiam a ideia e dão garantias de que seria o melhor para estabilizar a crise política e econômica que atravessa o Brasil. O convite deve ser feito formalmente pelo peemedebista






















E ainda tem gente que não gosta de PM: PFem de Araxá ganha confiança para buscar tri no Mineiro

Resultado de imagem para Rosiane Cândido

Bicampeã do Mineiro de fisiculturismo e 7º lugar no Arnold Classic Brasil 2016, Rosiane quer melhorar ranking e conquistar 3º título para competir internacionalmente

Resultado de imagem para Rosiane Cândido
Por Araxá, MG
A relação de Rosiane Cândido com a atividade física começou aos 19 anos, quando decidiu ingressar na Polícia Militar de Minas Gerais. Na época, não imaginava que essa decisão traria tantas outras conquistas. Frequentando academia com objetivo de conseguir resistência para passar nos testes físicos exigidos pela profissão, a policial se identificou com o ambiente, tomou gosto pelas práticas esportivas e decidiu que queria ir mais longe.
rosiane policia araxa arnold classic 2016  (Foto: Rosiane Santos/Arquivo pessoal )Rosiane entrou para a Polícia Militar há 10 anos e desde então começou a treinar (Foto: Rosiane Santos/Arquivo pessoal)
E ela foi. Entrou para o fisiculturismo em 2013 e hoje, além de ser bicampeã mineira e campeã mineira absoluta na categoria biquíni fitness de fisiculturismo, ela conquistou o 4º lugar no Brasileiro de 2015 e o 7º lugar no Arnold Classic, na categoria Bikini Fitness, que colocou a mineira de 29 anos no top 10 do maior evento esportivo da modalidade este ano. O evento foi no Rio de Janeiro e reuniu atletas de toda a América Latina em abril.
rosiane policia araxa arnold classic 2016 (Foto: Rosiane Santos)Rosiane busca o tricampeonato no Mineiro
(Foto: Rosiane Santos)
Mas não para por aí, ela quer mais para subir no ranking da categoria do Arnold. Bicampeã mineira e Overall absoluta no fisiculturismo, agora se prepara para conquistar o tricampeonato estadual ainda este ano.
– Vou para o campeonato Mineiro de fisiculturismo novamente e preciso ficar entre os três primeiros para conseguir vaga no Brasileiro. Mas o intuito é ser campeã novamente e o resultado do Arnold Classic aumentou minha confiança para isso. No Brasileiro o objetivo é pegar o primeiro ou segundo lugar para conseguir classificação para o circuito internacional do ano que vem – adiantou.
Para participar do Arnold Classic, realizado no Rio de Janeiro no início do mês, Rosiane contou que não foi fácil. Ela precisou ser convocada, e a chamada da Federação Mineira de Musculação e Fitness (IFBB Minas) veio graças aos títulos conquistados anteriormente.
– Graças aos títulos que ganhei aqui no Brasil, eu consegui esse credenciamento para o Arnold Brasil. É a quarta edição no país e a segunda que participo. No ano passado, eu não consegui ficar nem entre as 15 primeiras, mas desde então eu mudei muita coisa para conseguir integrar o top 10, a começar pelos conselhos que eu recebi da Federação e da banca de arbitragem sobre os pontos que eu poderia melhorar. Comecei a fazer assessoria, treinamento e dieta prescritos por profissionais especializados nessa área e isso me ajudou e vai me ajudar ainda mais para as próximas disputas – contou.
Além das dietas e conselhos para conquistar os objetivos, o treino será intensificado. A atleta vai continuar competindo na categoria biquíni fitness e explicou o foco agora é diminuir o peso para a disputa do Mineiro, que será nos dias 25 e 26 de junho, em Belo Horizonte.
– Na minha categoria, a altura é até 1,63m, e como eu estou com 57 quilos preciso chegar a 53 mais ou menos para a essa categoria. Para isso, eu faço muito treinamento aeróbico, corridas e saltos. A parte de musculação agora eu não faço muito, e os meus treinos são todos os dias, e às vezes até duas vezes por dia.
VIDA DE PM E FISICULTURISTA
Conciliar a rotina policial com os treinos não é fácil. Rosiane aproveita as folgas para melhorar ainda mais o seu resultado e conta com o apoio de toda a corporação. No entanto, ela lembra que nem sempre foi assim. O início foi visto com indiferença, e só mudou quando Rosiane mostrou a que veio e começou a virar exemplo.
– Hoje muitos colegas de trabalho brincam por eu ser musculosa, mas não era assim no começo. Era uma coisa que muitos faziam vista grossa, por ser diferente, e muitos não entendiam. Mas depois que comecei a ganhar competições, a trazer troféus para o quartel, e então despertei a curiosidade dos colegas. Eles queriam saber sobre, como eu fiz para emagrecer, de certa forma incentivei muitos colega a começarem dietas – brincou.
rosiane policia araxa arnold classic 2016 (Foto: Rosiane Santos/Arquivo pessoal)Com dieta regrada e acompanhamento de profissionais, Rosiane quer perde peso para buscar o tricampeonato no Mineiro (Foto: Rosiane Santos/Arquivo pessoal)
Acontecimentos que a fisiculturista considera gratificantes e, ao mesmo tempo, engraçados na rotina de policial.
– As pessoas são bem curiosas, já aconteceu de eu estar na delegacia, fardada e fazendo um boletim de ocorrência e ficarem me olhando. Aí começam a perguntar sobre minha forma física e acabam tirando o foco da atenção da ocorrência – contou.
Mas, para Rosiane, o reconhecimento é a parte mais importante no processo, e serve como incentivo para buscar melhores resultados.
– Já aconteceu de eu estar na viatura e as pessoas me chamarem pelo nome, dar os parabéns e isso me deixa muito feliz, é um reconhecimento e uma admiração conquistada com muito trabalho e que só me incentiva a ir mais longe – concluiu.