Postagem em destaque

PM encontra latrocidas é recebida a tiros e mata dois em Leandro Ferreira.

Depois de cometerem dois latrocínios e um roubo nas cidades de Pitangui e Leandro Ferreira onde duas vítimas vieram a óbito em decorrência d...

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Homem atira na namorada e tenta se matar em Pompéu.

Casal estava discutindo quando homem disparou contra a namorada.

Homem atirou na própria cabeça; ambos estão em estado grave.

Do G1 Centro-Oeste de Minas
Um homem de 40 anos atirou contra a namorada, de 48 anos, e depois tentou tirar a própria vida na madrugada desta sexta-feira (30) em Pompéu. A Polícia Militar (PM) informou que o casal estava discutindo quando o homem atirou no rosto da companheira. De acordo com a PM, a vítima ligou para a polícia e relatou o fato.
No local, os militares encontraram a vítima andando pela casa com o a bala alojada no maxilar. Já o suspeito dos disparos estava deitado em uma cama da residência com um tiro na cabeça e uma arma na mão.
Ainda de acordo com a PM, eles foram encaminhados ao Hospital de Pronto Atendimento de Pompéu. Segundo o hospital, o estado de saúde da mulher é grave, ela está consciente e sendo transferida para o hospital de Sete Lagos. Já o homem foi encaminhado, em estado gravíssimo, para o Hospital João XXIII em Belo Horizonte.

Em casa, equipe de Bom Despacho fatura 11 ouros no Open de Jiu-Jitsu

Competição no Centro-Oeste mineiro reúne mais de 400 lutadores de diferentes estados. Quinze dos dezessete atletas sobem nos três lugares do pódio

Por Divinópolis/MG
Comente agora
Vencer é sempre bom, mas vencer jogando em casa tem um gosto ainda melhor. Os atletas da equipe Águia Dourada de Bom Despacho vivenciaram isso após a conquista de bons resultados no Campeonato Open de Jiu-Jitsu, realizado na cidade neste fim de semana. Dos 17 atletas que participaram, 15 subiram ao pódio, totalizando 11 medalhas de ouro, duas de prata e uma de bronze. Para o treinador, as medalhas comprovam o trabalho dos treinos pesados e a determinação de cada atleta. Vanderson Donato Fagundes Pereira conta do orgulho que sente da equipe e também das delícias de vencer na própria casa.
Equipe de Jiu Jitsu Aguia Dourada de Bom Despacho (Foto: Julia Helen/ Arquivo Pessoal)Quinze atletas do Águia Dourada de Bom Despacho conquistaram medalhas.
(Foto: Julia Helen/ Arquivo Pessoal)



 O Open foi bem diferente de todos as competições, tivemos atletas que lutam a muito tempo e outros que participaram da sua primeira competição. Conhecer os tatames onde lutamos auxilia, pois dá mais confiança ao atleta, e não tem nada mais agradável do que a torcida ao nosso favor vibrando com o atleta - comentou.
Amanda Alves da Equipe de Jiu Jitsu Aguia Dourada de Bom Despacho (Foto: Amanda Alves/ Arquivo Pessoal)Amanda Alves foi medalha de ouro 
(Foto: Amanda Alves/ Arquivo Pessoal)
Se para o treinador a competição foi emocionante, para os lutadores que se jogaram no tatame e sentiram a adrenalina de vencer em Bom Despacho, em uma competição que reuniu cerca de 400 atletas de diferentes estados, as sensações foram indescritíveis. Amanda Alves de Oliveira foi campeã da categoria adulto pesado e diz que nem sempre tem a oportunidade de levar os amigos para vê-la competir. 
- Dá mais adrenalina ouvir o pessoal gritando seu nome na arquibancada. A tensão aumenta e tenho mais forças para ir em busca do objetivo final que é a medalha de ouro - concluiu.
A jovem atleta Júlia Helen Morais Oliveira foi medalha de ouro no juvenil meio pesado. Ela compete no Águia Dourada há dois anos e conta que a equipe é muito unida e que a cada competição os treinos são desenvolvidos especialmente para aquele campeonato.
Julia Hellen da Equipe de Jiu Jitsu Aguia Dourada de Bom Despacho (Foto: Julia Helen/ Arquivo Pessoal)Julia Helen é atleta do Aguia Dourada há dois anos. (Foto: Julia Helen/ Arquivo Pessoal)
- Focamos na competição e isso auxilia bastante. Por exemplo, 12 atletas da nossa equipe vão participar do Campeonato Mundial, em julho, em São Paulo e, para isso, treinamos musculação, técnicas do jiu-jitsu, além de regras de pontuação - explicou.
Águia Dourada está há 15 anos em Bom Despacho. A equipe tem um projeto especial com a Polícia Militar (PM), que busca crianças e adolescentes para prática do esporte. O coordenador do projeto Vanderson Donato, explica que para participar o atleta precisa estar matriculado na escola e ter boa conduta perante a sociedade.
- A nossa intenção é que com o esporte incentivarmos ao aluno ter boas notas além de ser sempre um cidadão do bem - concluiu.

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Joaquina de Pompéu: Uma das mais admiráveis mulheres da história do matriarcado colonial mineiro.



Através de um bate papo bem informal, não somente a história desta mulher, mas conhecer o Centro Cultural Dona Joaquina do Pompéu, um espaço que se torna um dos mais admiráveis centros de referencia de estudo da história do matriarcado colonial mineiro.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Delegado Irineu Coelho se despede da Comarca de Arcos para assumir a Regional de Nova Serrana.


O delegado de Polícia Nível Especial, Irineu José Coelho Filho, que era titular da Delegacia de Polícia Civil da Comarca de Arcos desde outubro de 2009, foi promovido a delegado regional de Polícia Civil e designado para assumir a 5ª Delegacia Regional de Polícia Civil (DRPC) de Nova Serrana.

A promoção ocorreu por merecimento, em razão do trabalho desenvolvido em Arcos e região. Dr. Irineu Coelho será o primeiro titular da 5ª DRPC, que foi criada pela Chefia de Polícia Civil de Minas Gerais por meio da Resolução 7.605 publicada na Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais em 07 de maio de 2014. Na mesma data, através do ato Nº 63.114, foi publicada a designação do mesmo como delegado regional.

A criação da 5ª Delegacia Regional de Polícia Civil vinha sendo reivindicada pela comunidade da região, principalmente da cidade-sede, que, por meio de seus representantes e lideranças, uniram esforços junto ao Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Defesa Social e da Chefia de Polícia Civil.

Desse modo, em reunião na Prefeitura Municipal de Nova Serrana, no dia 06 de maio, foi anunciada pelo superintendente de Investigações e Polícia Judiciária, delegado geral Jeferson Botelho de Oliveira, a instalação da 5ª DRPC.

A 5ª Delegacia Regional de Polícia Civil abrange a Comarca de Nova Serrana com os municípios de Araújos e Perdigão, e a Comarca de Pitangui, com os municípios de Conceição do Pará e Leandro Ferreira, totalizando uma área territorial de quase dois mil km² e população superior a 130 mil habitantes, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE e da Fundação João Pinheiro – FJP.

Segundo o delegado geral Alexandre Andrade de Castro, chefe do 7º Departamento de Polícia Civil, com sede em Divinópolis, “a escolha do Dr. Irineu para chefiar a 5ª Delegacia Regional de Nova Serrana foi motivada pelo interesse da Administração Pública, uma vez que ele preenche os requisitos necessários para ocupar um cargo importante e de extrema responsabilidade, e não haverá prejuízo para a Comarca de Arcos, pois o mesmo será substituído nos próximos dias”.

Dr. Irineu destaca: “Aceitei o desafio e me sinto honrado com a indicação. A 5ª DRPC era um sonho do povo de Nova Serrana e caberá a nós uma parcela na realização do mesmo. Vamos trabalhar da mesma forma com que sempre fizemos, com os pés firmes no chão e olhos no horizonte. Os resultados virão com o tempo”.

O delegado também comenta que enfrentará alguns problemas, como por exemplo, a violência aliada a altos índices de criminalidade, e ressalta que utilizará a experiência obtida ao longo da carreira para administrar todos os percalços que surgirem na nova DRPC.

Ações de Dr. Irineu Coelho Filho em Arcos

Dr. Irineu Coelho Filho conta que enquanto titular da Delegacia de Polícia de Arcos conseguiu melhorias em todos os setores. Além disso, acrescenta, a criminalidade na cidade foi controlada, apresentando um dos melhores resultados dentre as unidades do 7º Departamento de Polícia Civil de Divinópolis no ano de 2011 e 2012, comparados com os anos anteriores.

Outro ponto observado é que a Delegacia de Polícia foi reequipada e passou a funcionar em um imóvel mais adequado, com melhores condições tanto para os funcionários quanto para os usuários.

Dr. Irineu destaca o importante apoio que teve do município. “Fizemos o que estava ao nosso alcance, trabalhamos com afinco e recebemos o apoio da comunidade para realizar o nosso projeto. Modernizamos as instalações da Delegacia de Polícia e celebramos convênio com o Município, possibilitando a cessão de mais funcionários e estagiários, estudantes de Direito, o que muito contribuiu para o bom andamento dos trabalhos”.

E ainda enfatiza a importante participação de sua equipe na obtenção do sucesso enquanto esteve à frente da Delegacia de Arcos. “Considero que foi uma gestão de sucesso e devo isso à minha equipe [...]. Tenho certeza de que atingimos os nossos objetivos porque sempre realizamos um trabalho conjunto e integrado com a Polícia Militar, contando com o apoio incondicional do Poder Judiciário, do Ministério Público, do Poder Executivo Municipal, do Conselho Tutelar, do Conselho Comunitário de Segurança Pública (Consep), e tantos outros segmentos e pessoas que acreditaram na nossa proposta de trabalho voltado para o bem comum, para a segurança da comunidade e para a evolução do pensamento no que concerne à vida em sociedade”, conclui.

Não foi no Velho Oeste: Índios atacam cavalaria e soldado é recebe flechada.

Índios que ocuparam marquise do Congresso se juntaram à manifestação.

Policial militar foi atingido por uma flecha disparada por um dos indígenas.

Ricardo Moreira, Raquel Morais, Luiza Facchina, Lucas Nanini e Fabiano CostaDo G1 DF
Indígena atira flecha contra policial durante protesto em Brasília nesta terça-feira (27). (Foto: Lunae Parracho/Reuters)Grupo de índios que participou de protesto em Brasília cercou policiais militares que estavam a cavalo
(Foto: Lunae Parracho/Reuters)
A 16 dias da abertura da Copa do Mundo, um protesto contra o mundial da Fifa terminou em confronto com a Polícia Militar na área central de Brasília, no fim da tarde e na noite desta terça-feira (27). Os manifestantes chegaram a fechar as seis faixas do Eixo Monumental, no sentido Torre de TV, o que gerou um grande congestionamento. Segundo a PM, cerca de 2,5 mil pessoas participaram da manifestação, entre as quais um grupo de 300 índios que desembarcou na capital federal para protestar contra mudanças nas regras de demarcação de terras indígenas.
Indígena mira flecha antes de acertar perna de policial durante protesto em Brasília (Foto: Reprodução/TV Globo)Indígena mira flecha antes de disparar em direção
a policiais (Foto: Reprodução/TV Globo)
Em meio ao protesto, um PM do pelotão de cavalaria foi atingido por uma flecha disparada por um indígena. O policial foi atendido pela ambulância do Samu e passa bem, segundo a corporação.
Apesar de ter sido flagrado, o índio que disparou a flecha não foi preso, informou a  Polícia Militar.
Conforme a assessoria da Funai, desde 1988 os índios são responsáveis pelos seus atos e podem ser presos pela PM. A única restrição é com relação à prisão dentro de aldeia, que exige a presença da Polícia Federal, segundo a assessoria.
Imagem capta momento em que flecha atirada por indígena atinge perna de policial durante protesto em Brasília (Foto: Reprodução/TV Globo)Imagem capta momento em que flecha atirada por
indígena atinge perna de policial durante protesto
em Brasília (Foto: Reprodução/TV Globo)
De acordo com o Conselho Indigenista de Missionários, dois índios também ficaram feridos com bombas de gás lacrimogêneo disparadas pelo Batalhão de Choque.

Em nota oficial, a Secretaria de Segurança Pública do DF, os policiais militares agiram “estritamente dentro do protocolo previsto em casos de manifestações”. A pasta disse que o ato foi contido no limite da área de visitação da Taça da Copa do Mundo e que preservou a integridade física dos participantes.
Ainda de acordo com a corporação, duas pessoas foram presas durante o tumulto: um homem por desacato à autoridade e outro por dano ao patrimônio.
Alvo dos manifestantes, o Estádio Nacional Mané Garrincha completou um ano no dia 18 de maio. A arena substituiu o antigo Mané Garrincha e vai receber sete partidas do Mundial, entre as quais o jogo entre Brasil e Camarões, no dia 23 de junho.

As obras do estádio, que custaram cerca de R$ 1,2 bilhão aos cofres do governo do Distrito Federal, estão sendo questionadas pelo Tribunal de Contas do DF por suspeitas de superfaturamento.
Marcha e conflito
O protesto contra a Copa em Brasília teve início por volta das 17h, quando integrantes de movimentos sociais se concentraram na Rodoviária do Plano Piloto para criticar os gastos públicos na Copa e reclamar de problemas nas áreas de habitação, saúde e educação.
O ato também reuniu familiares do auxiliar de serviços gerais Antônio de Araújo, que desapareceu no dia 27 de maio de 2013, após uma abordagem policial na cidade satélite de Planaltina, e os indígenas, que mais cedo haviamocupado a marquise do Congresso Nacional.
Moto da PM com flechas (Foto: Polícia Militar/Divulgação)Moto da PM com flechas
(Foto: Polícia Militar/Divulgação)
Após a concentração na Rodoviária do Plano Piloto, os manifestantes saíram em marcha pelo Eixo Monumental, uma das principais vias de Brasília, em direção ao Estádio Nacional Mané Garrincha. De acordo com a Polícia Militar, os manifestantes aproveitaram madeiras e pedras de restos de obras na Feira da Torre de TV, ponto turístico que fica próximo ao estádio, para tentar agredir os policiais.
Na tentativa de evitar que o grupo se aproximasse da arena, os 900 policiais mobilizados para o protesto passaram a disparar bombas de gás lacrimogêneo contra os manifestantes.
O protesto ocorreu durante dia de visitação pública à Taça da Copa do Mundo, que encerra, em Brasília, um tour pelas cidades-sedes do evento da Fifa. O ex-jogador e tetracampeão mundial Bebeto participou da exposição no estacionamento do Estádio Mané Garrincha.
Alegando falta de segurança, a organização do evento fechou o acesso do público assim que os manifestantes começaram a entrar em confronto com a PM.
Responsável pela exposição no estádio, a Coca-Cola lamentou que o protesto tenha impedido que centenas de pessoas conseguissem visitar a taça da Copa do Mundo nesta terça-feira. Por meio de nota oficial, a empresa classificou as manifestações como parte do "processo democrático" e afirmou que a visitação desta quarta (28), que começa às 9h, está mantida.

terça-feira, 27 de maio de 2014

Só fica quem quer: mais três fogem da cadeia de Santo Antônio do Monte.


                   

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Delegados podem ter aumento diferenciado de salario em 2015


DSCN7253
Assembleia Geral dos Delegados de Polícia aceita contraproposta do Governo para implantação do subsídio da categoria a partir de abril de 2015. A deliberação foi votada e aprovada na tarde desta segunda-feira 26/05 por 120 Delegados de Polícia em reunião na sede do SINDEPOMINAS.
As bases da implantação e os estudos técnicos sobre a proposição do subsídio serão encaminhados por meio de um Grupo de Trabalho com representantes nomeados pela categoria e pelo governo em portaria que será publicada pela Secretaria de Planejamento e Gestão (SEPLAG) até o final dessa semana.
Os Delegados de Polícia também decidiram suspender as mobilizações da categoria por duas semanas – prazo requerido pela Secretaria Estadual de Governo para resolver o problema de hierarquia salarial dentro da polícia.
DSCN7238Na avaliação do presidente do SINDEPOMINAS, Dr. Marco Antônio de Paula Assis, a “categoria mostra cada vez mais coesão, força e amadurecimento para acompanhar com espírito crítico todos os avanços da negociação.”
DSCN7230

sábado, 24 de maio de 2014

Fogo atinge depósito de fábrica em Nova Serrana



Um incêndio atingiu um depósito de solas de calçados na tarde deste sábado (24) em Nova Serrana. Segundo as primeiras informações do Corpo de Bombeiros, as chamas tomaram conta do local que fica no Bairro Santa Maria. Ninguém estava na fábrica no momento do incêndio. (Veja ao lado o vídeo do incêndio cedido ao G1 por Iago Sousa). 
Segundo os Bombeiros, viaturas de Nova Serrana estão na fábrica desde 16h30 para tentar controlar as chamas. Os militares de Divinópolis também foram chamados para ajudar a combater o fogo. 
Ainda de acordo com a corporação, não há feridos e o fogo ficou restrito ao depósito. Os bombeiros contaram que a previsão é de que as equipes permaneçam na fábrica até 0h pelo menos. As causas do incêndio ainda são desconhecidas. 
incêndio nova serrana depósito de calçados (Foto: Iago Sousa/Arquivo Pessoal)Bombeiros estão no local e dizem que devem terminar o trabalho pelo menos 0h.
(Foto: Iago Sousa/Arquivo Pessoal)

Jovem morre em acidente em Bom Despacho.


O jovem Leandro Elias da Silva morreu depois de colidir contra um poste na Av. Maria Guerra em Bom Despacho, segundo a polícia Leandro estaria voltando para casa para buscar um documento enquanto sua Esposa o aguardava para uma viagem em um ônibus fretado, els tinha se casado a apenas um mês e o caso comoveu a todos. O carro que ele dirigia se partiu ao meio quando colidiu contra o poste depois de derrapar na via que não era asfaltada


.
O blog presta suas condolências aos familiares.

PM é o Anjo da Guarda dos Peritos, afirma Expert na ALMG


Disputa por equipamentos novos causa briga em Pompeu

 
Nos últimos meses Os funcionários da Prefeitura, de Pompéu ,tem se estranhando
Os maiores Motivos são A Disputa pelo As maquinas Novas Entre Motoristas,Garis com 2 trabalhos cujo o rendimento é pouco,Briga de Casais que trabalham Juntos,Onde  já teve Facão,,Ofensas e Socos.
(matéria enviada por um leitor) 

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Doidão vai fumar "baseado" e "bota" fogo na frota de veículos da Prefeitura de Moema


Um Jovem foi preso depois de ter colocado fogo em dois carros e um caminhão da Prefeitura Municipal de Moema. O jovem alegou que o incendio teria sido acidental quando a brasa do baseado que ele fumava se soltou e caiu no banco do veículo iniciando o incendio, ele disse que ainda tentou apagar o fogo mas não conseguiu por estar "viajando". Veja o video.

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Mobilização bem sucedida: O Dia nacional de paralisação das Polícias Civis e Federal repercutiu com grande adesão em todo país, em Minas Gerais Policiais ocuparam as ruas e cruzaram os braços


O balanço do dia nacional de paralisação em todo Brasil, contou com a adesão de 18 Estados, e em várias partes de MG a paralisação alcançou resultados, além da expectativa do comando sindical. Durante todo o dia a cobertura da imprensa e o monitoramento da Direção Sindical detectou que a adesão foi superior a 70%.
Na visão do Presidente do SINDPOL/MG, Denilson Martins, para um 1º dia de paralisação, sem que tivéssemos tempo hábil para uma articulação maior em todo Estado e também no país, já foi um sucesso e sinaliza para o Governo Federal e Governos Estaduais, que se não negociarem com a base, aprovando as matérias já pontuadas (PECs 24 e 51 e Lei Geral das Polícias Civis PLC 1949/2007), poderá haver um blecaute da segurança pública com a paralisação da quase totalidade dos Policiais que irão para as ruas protestarem ainda na Copa do Mundo fazendo coro com os demais segmentos da sociedade, insatisfeitos com a precariedade dos serviços públicos e com a insegurança instalada no seio da sociedade brasileira que tem gerado os números estatísticos de um estado de guerra civil: Mais de 59 mil assassinatos por ano, mais de 60 mil estupros noticiados, crescimento anual de mais de 27% da criminalidade violenta com destaque ao tráfico de drogas e envolvimento de menores em atos infracionais e diante de tudo isso o Governo Federal permanece apático, omisso, irresponsável e leniente.
Nossas fronteiras parecem um queijo suíço e todas as forças policiais em pleno e crônico sucateamento, impossibilitadas de darem resposta ao clamor e demanda por mais segurança.
A COBRAPOL e suas Entidades afiliadas estarão marcando novo ato em data oportuna que será estrategicamente divulgada e caso o Governo não transija em esperada negociação uma greve geral poderá ser deflagrada.

Entidades Signatárias SINDPOL/MG e COBRAPOL

Família quer enterrar moça em casa.

                   

PEC nº 51/2013 – O perigo da desmilitarização


O cidadão de bem, que tem o direito de ir de casa para o trabalho e voltar sem ter de deixar o que ganhou honestamente nas mãos de algum marginal, precisa ficar atento a uma armação ainda mais perigosa para a sua segurança. Está nas ruas e nas mídias uma campanha de desmoralização das polícias militares, como se os verdadeiros bandidos não fossem os marginais do tráfico nem os políticos que enriquecem com desvios de verbas públicas.
Pior é o que está por trás de tudo isso: encoberta por um discurso que parece ser politicamente correto, o que realmente se pretende é aprovar uma mudança na Constituição Federal (PEC nº 51/2013), que simplesmente acaba com as polícias militares.
Constitucionalmente organizadas, mantidas e comandadas pelos governos estaduais, as polícias militares são entendidas como forças auxiliares da segurança do país, mas com foco, formação e dedicação exclusiva, nos tempos de paz, às atividades de segurança pública. São treinadas para o policiamento ostensivo e ações que, eventualmente, exijam o braço forte do Estado para garantir a ordem, o cumprimento da lei e das decisões judiciais.
Depois de tentar desarmar toda a população por meio de um referendo popular em 2005, que se transformou em tiro no pé dos autores, os atuais donos do poder político no Brasil pensam ter encontrado na eliminação das polícias militares um meio de esvaziar um poder armado sobre o qual não têm controle absoluto. Para quê?
Se os propósitos são inconfessáveis, os meios para alcançar tal objetivo são conhecidos. Basta que um policial militar — que, infelizmente, ainda é mal preparado para certas situações de confronto com o crime — cometa um erro para que toda a corporação militar seja questionada, numa generalização injusta e intolerável. Exemplos gritantes são frequentes no Rio de Janeiro, onde a força tomou pontos que antes pertenciam ao tráfico.
Um civil baleado, mesmo antes de saber quem disparou, é imediatamente usado para manifestações contra a polícia e a política de pacificação dos morros. Não é por acaso que o autor da emenda constitucional que propõe desarmar a defesa do cidadão é senador pelo Rio de Janeiro, Lindbergh de Farias, do PT, e pretende assumir o governo daquele estado.
Mas as pessoas de bem, assim como desconfiaram dos propósitos do desarmamento forçado em 2005, ainda têm tempo para rejeitar mais essa manobra para concentrar poder — inclusive o de fogo —em Brasília. Ninguém deve se enganar com os lobos mansos. Terão mais facilidade de entender o que se passa os amantes do cinema que conhecem a obra-prima O garoto, de Charles Chaplin, em que o menino atirava pedras nas vidraças antes de seu protetor, Carlitos, oferecer serviços de vidraceiro. Ou seja, trata-se de criar uma necessidade, um clima, para se encaminhar uma falsa solução.
Nas recentes manifestações de rua, militantes foram pagos para atirar fogos contra a polícia e, com isso, provocar reações que pretendem enganar o cidadão menos avisado, induzindo-o a aceitar a falsa necessidade da desmilitarização daqueles que, se não podem evitar políticos mal intencionados, pelo menos tentam defender as pessoas dos marginais violentos. Em vez de acabar com as polícias militares, mais ajuizado será dar-lhes melhores condições de exercer seu papel.
Transcrito do Jornal Correio Braziliense; nos termos do artigo 46 da Lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998.‏

Policiais fazem paralisação em vários estados

Para ministro da Justiça, governo consegue garantir a lei e a ordem no país.

Categoria pede melhores condições de infraestrutura e segurança.

Do G1, em São Paulo
401 comentários
Policiais civis de vários estados do país decidiram fazer uma paralisação de 24 horas nesta quarta-feira (21). A categoria pede melhores condições de infraestrutura, segurança e o nivelamento do salário dos policiais em todo o Brasil.
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou que a reivindicação não pode trazer transtornos, prejuízos e violência para a sociedade. Ele disse ainda que, se necessário, o governo tem condições de garantir a lei e a ordem em todo o território nacional.
"Os policiais que servem a lei e a Constituição sabem que a greve está proibida por decisões do Supremo [Tribunal Federal]. Em segundo lugar, não creio que nenhum brasileiro e nenhuma brasileira queira que a sociedade pague a conta de um processo que tem de ser de diálogo e de reivindicação. Caso ocorra, podemos perfeitamente encaminhar a Força Nacional de Segurança Pública e as Forças Armadas para garantir a lei e a ordem, porque a Constituição nos autoriza. A população brasileira deve ficar tranquila", disse Cardozo.
Veja abaixo a situação da paralisação de policiais civis em cada estado:
Acre
Categoria não aderiu à paralisação.
Amapá
Categoria não aderiu à paralisação.
Amazonas
Categoria não aderiu à paralisação.
Alagoas
No estado, não houve adesão à paralisação, mas a categoria irá se reunir às 16 horas, no centro de Maceió, para distribuir panfletos com o objetivo de informar à sociedade sobre as pautas de reivindicações que defendem melhorias salariais e estruturação das polícias. A assessoria da Polícia Militar de Alagoas informou que a categoria não vai aderir ao movimento.
Distrito Federal
Policiais civis suspenderam o registro de ocorrências e as investigações desde as 8h desta quarta-feira, em adesão à paralisação nacional dos servidores de segurança pública. A categoria pede a abertura do diálogo com o governo sobre propostas de valorização da classe.
Assembleia de policiais civis em Vitória (Foto: Viviane Machado/ G1ES)Assembleia de policiais civis em Vitória
(Foto: Viviane Machado/ G1ES)
Espirito Santo
Os policiais civis do estado se reuniram em assembleia, nesta quarta-feira, na chefatura de polícia, em Vitória. O sindicato informou que não fará greve, mas a categoria anunciou uma paralisação de 24 horas, até a 0h desta quinta-feira (22). Apenas flagrantes são registrados nas delegacias – todos os outros serviços foram interrompidos.
A principal reivindicação da categoria no Espírito Santo é a exigência de nível superior para os agentes de polícia, como acontece com os agentes investigativos, segundo o presidente da Associação dos Policiais Civis do estado, Gilmar Ferrari.
Goiás
Categoria não aderiu à paralisação.
Policiais se concentraram em frente à sede do sindicato em Belo Horizonte.  (Foto: Pedro Triginelli/ G1)Policiais se concentraram em frente à sede do
sindicato na capital de MG (Foto: Pedro Triginelli/G1)
Minas Gerais
Policiais civis iniciaram uma passeata em Belo Horizonte às 11h20. Cerca de 50 pessoas deixaram a sede do Sindicado dos Servidores da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais (Sindipol-MG), na Região Noroeste, em direção à Praça Sete, no Centro.
No trajeto, os manifestantes ocuparam uma faixa da Avenida Antônio Carlos. A categoria pede melhores condições de infraestrutura, segurança e o nivelamento do salário dos policiais em todo o país. Entre as maiores cidades do Sul de Minas, as delegacias de Passos (MG), Poços de Caldas e Pouso Alegre (MG) confirmaram adesão à paralisação. Em Varginha (MG), Itajubá (MG) e Lavras (MG), não há confirmação.
Pará
Policiais Civis do estado fazem uma manifestação na Praça Batista Campos, em Belém. Segundo os policiais, o ato público busca chamar atenção sobre as deficiências do modelo de segurança pública paraense. De acordo com os manifestantes, a adesão é de 50%. Apesar disso, os policiais garantem que os serviços não foram prejudicados.
Paraíba
Em João Pessoa, as delegacias estão apenas recebendo flagrantes. Com isso, investigações, notificações, intimações e registros de ocorrências estão suspensos. Um grupo de policiais que cruzou os braços fez uma manifestação em frente ao Palácio da Redenção, sede do governo estadual, utilizando faixas em protesto e carro de som.
Piauí
Categoria não aderiu à paralisação.

Pernambuco
Tanto policiais civis quanto militares trabalham normalmente durante esta quarta-feira. O Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Pernambuco (Sinpol-PE), que representa a categoria, afirmou que não pretende aderir ao movimento, mas um grupo de oposição marcou uma passeata para esta tarde, no Centro do Recife, a partir das 15h. Ainda de acordo com a Secretaria de Defesa Social, o movimento não vai atrapalhar o funcionamento da polícia.
Rio de Janeiro
paralisação no Rio teve início à meia-noite. A categoria pede que as gratificações sejam incorporadas ao salário, além de aumento no vale-transporte e no tíquete-refeição. O presidente do sindicato, Francisco Chao, informou que, apesar da paralisação, policiais vão trabalhar nas delegacias para atender às ocorrências mais graves. Um dos efeitos da paralisação dos policiais civis no estado é o adiamento da reconstituição da morte do dançarino DG, do programa Esquenta!, da TV Globo, marcada inicialmente para esta quarta-feira. Segundo ele, o procedimento foi adiado para esta quinta-feira (22).
Na Região dos Lagos, apenas parte das ocorrências, como prisões em flagrante e crimes mais graves, está sendo registrada nas delegacias. Nos casos mais leves, os policiais estão pedindo que as pessoas voltem no dia seguinte.
Em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, 30% do efetivo fazem revezamento para atender apenas os casos de emergência. Por causa da paralisação, as investigações estão suspensas, e os registros de ocorrências foram reduzidos. Apenas prisões em flagrantes, casos graves de violência, roubos e furtos de veículos estão sendo registrados.
Policiais civis de Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, aderiram à paralisação de 24 horas. Somente o atendimento de casos mais graves, flagrantes e investigações serão feitos nesta quarta. Apenas em uma das delegacias de Petrópolis, a 105ª DP no Retiro, o funcionamento será normal em todos os setores.  De acordo com as unidades, o quadro de funcionários em todas as delegacias não foi alterado.
Rio Grande do Norte
Categoria não aderiu à paralisação.
Rio Grande do Sul
Categoria não aderiu à paralisação.
Policiais civis e militares realizam passeata por ruas de Porto Velho, RO (Foto: Gaia Quiquiô/G1)Policiais civis e militares fazem passeata por
ruas de Porto Velho, RO (Foto: Gaia Quiquiô/G1)
Rondônia
Policiais civis e escrivães de Porto Velho fazem passeata pela Avenida Carlos Gomes, uma das mais movimentadas da capital de Rondônia. Oato ainda tem a participação de policiais militares. A Polícia de Trânsito (Petran) acompanha a passeata e controla o fluxo de veículos na região.
Delegacias permanecem funcionando durante a mobilização da Polícia Civil (Foto: Naim Campos/RBS TV)Delegacias permanecem funcionando em Santa
Catarina (Foto: Naim Campos/RBS TV)
Santa Catarina
Policiais estão reunidos em frente à Assembleia Legislativa de Santa Catarina(Alesc), no Centro de Florianópolis. De acordo com a secretária-geral do Sindicato da Polícia Civil de Santa Catarina (Sinpol-SC), Rosemery Mattos, o intuito da mobilização é panfletar e esclarecer a sociedade sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 51.
Sergipe
Um ato simbólico realizado pela Polícia Civil de Sergipe marcou o início da paralisação. Nas primeiras horas desta manhã, cerca de 100 policiais se reuniram nas escadarias da sede da Secretaria de Segurança Pública (SSP), em Aracaju, e entregaram chaves de viaturas. As delegacias estão funcionando apenas com 30% do efetivo.