Postagem em destaque

Família tem casa queimada e o sonho destruído pelo fogo em Bom Despacho.

Ajude a reconstruir este sonho. Veja o vídeo clicando acima: Um incêndio queimou uma casa e destruiu os sonhos de uma família no Bairr...

terça-feira, 31 de março de 2015

Pitacrime: quatro assaltos em uma noite em postos e farmácia em Pitangui

PM suspeita que crimes tenham sido cometidos pelas mesmas pessoas.
Em todos os casos, suspeitos chegaram a pé e armados.

Do G1 Centro-Oeste de Minas
Quatro assaltos foram registrados em Pitangui na noite de desta segunda-feira (30). O primeiro registro, segundo a Polícia Militar (PM), foi em uma farmácia e os outros foram em postos de combustíveis. A suspeita é que os crimes tenham sido cometidos pelas mesmas pessoas.
Dois postos ficam no Centro da cidade e foram assaltados em sequência. No que fica na Rua Lima Guimarães, o criminoso chegou a pé, sacou a arma que estava na cintura e levou todo dinheiro que tinha com o frentista. Em seguida ele fugiu em um moto que o aguardava próximo ao local.

“Com certeza foi a mesma dupla que cometeu esses assaltos, primeiro pelas características e pela moto usada, que era preta, sem placas e sem farol, provavelmente moto furtada, mas não tivemos como averiguar”, disse o soldado Marco Túlio da Silva Pereira.
Nos dois registros seguintes, no Bairro Chapadão e no Centro, novamente, o assalto ocorreu da mesma forma. O assaltante chegou a pé, usando capacete e capuz, anunciou o assalto e levou todo dinheiro que estava com os frentistas.
Na farmácia, o assalto teve as mesmas características e segundo a PM, o criminoso levou cerca de R$ 2.500. Ninguém foi preso até a manhã desta terça-feira (31), segundo a PM que segue em rastreamento.

A escolha. Cuidado imagens muito fortes.


Produtor cria 5 mil galinhas caipira em Japaraiba.

Veja o vídeo de Marcelo criador de galinhas caipiras francesas em Japaraíba, Centro oeste de MG



Mulheres policiais mineiras denunciam já sofreram assédio sexual ou moral de superior



O trabalho delas é proteger as pessoas. Mas, muitas vezes, são elas que precisam de proteção. Você vai ver o resultado de uma pesquisa inédita sobre assédio contra mulheres policiais dentro de suas próprias corporações. São relatos dramáticos.
Relatos parecidos ecoam pelos corredores das delegacias e quartéis. Mulheres policiais assediadas por outros policiais. De tão frequentes, os casos viraram tema de uma pesquisa inédita do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e da Fundação Getúlio Vargas.
Os dados são sombrios: 40% das entrevistadas disseram já ter sofrido assédio moral ou sexual no ambiente de trabalho. A maior parte das vezes quem assedia é um superior. O levantamento foi feito com mulheres das guardas municipais, pericia criminal, Corpo de Bombeiros e das Policias Civil, Militar e Federal. Tudo de forma anônima. Não à toa. A pesquisa também mostrou que só 11,8% das mulheres denunciam que sofreram abuso.
“Medo da pessoa, medo da minha carreira, medo de ser tachada pelos outros”, afirma uma mulher que não quis se identificar.
Poucas se atrevem a mostrar o rosto. Como Marcela e Katya. Esta semana, elas foram com outras duas colegas à Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais para falar sobre o assédio que dizem ter sofrido.
As quatro são policiais militares e alegam terem sido vítimas da mesma pessoa, o Tenente Paulo César Pereira Chagas.
“Sempre esse tenente sempre passava por mim, pelo pátio da companhia e me elogiava. Falava assim: ‘seu sorriso alegra meu dia’, conta Katya Flávia de Queiros, soldado da Polícia Militar. 
“Até que as conversas começaram a ficar mais ousadas”, conta Marcela Fonseca de Oliveira, soldado da Polícia Militar.
“Na época, meu casamento foi totalmente abalado por isso. Passei muita dificuldade. Tive que voltar para casa dos meus pais. Minha vida foi totalmente destruída por causa disso”, relembra Katya.
Foi então que elas entenderam que não eram culpadas pelo assédio e decidiram se unir para denunciar o homem que elas apontam como agressor.
“A gente se sente tão fraca quando está em uma situação dessa’, diz Marcela.
O Fantástico procurou o tenente, mas quem respondeu por ele foi a Polícia Militar de Minas Gerais. Em nota, a PM diz que o assédio é transgressão grave, de acordo com o código de ética e disciplina da corporação.
Mas, até agora, a única punição sofrida pelo tenente foi a transferência do local de trabalho.
“Elas não têm mais o acompanhamento do oficial que dirigiu a elas esses gracejos” diz o comandante da 10º RPM de Patos de Minas/MG, Coronel Elias Saraiva.

“Eles não veem a gente como profissional, como uma militar, como todos os outros. É como se a gente fosse um pedaço de carne. Ou que estivesse lá desfilando para embelezar o quartel”, lamenta Katya.
Em qualquer ambiente de trabalho, casos de assédio sexual e moral são graves. E quando os envolvidos são policiais o desfecho é imprevisível.
“Nosso policial anda armado e de repente pode acontecer uma tragédia”, afirma o presidente da Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de MG, Marco Antonio Bahia.
“Nós sabemos que pessoas, tanto homens quanto mulheres que estão na corporação da polícia tem um tom de agressividade a mais do que a população geral”, diz a psiquiatra Alexandrina Meleiro.
“A gente fica atormentada, psicologicamente. Eu cheguei a um ponto que até eu tive vontade de matar”, afirma a vítima que não quis se identificar.
Uma policial militar sofreu durante dois anos calada. Ela é casada e tinha medo que o assédio prejudicasse sua família e sua carreira.
“A pessoa começou a chantagear e ameaçar. Caso eu contasse para alguém, que ele ia reverter a situação contra mim. Ele falou assim: ‘você não tem prova. Você não tem prova nenhuma. Ninguém nunca viu eu fazendo nada’”, conta a vítima.
Até o dia que ela não aguentou tanta pressão.
“Eu estourei, comecei a gritar com ele e falar que ele me assediava o tempo todo, que ele era tarado, que eu estava com medo dele”, relembra a vítima.
Depois de uma investigação interna, a punição aplicada, mais uma vez, foi a transferência para outro quartel.
“E foi tudo muito bem apurado. E foi comprovado o assédio”, conta a vítima.
As mulheres reclamam que não existe um setor específico para receber relatos de abusos sexuais e morais. Ao todo, 48% das policiais afirmam que não sabem exatamente como denunciar. E 68% das que registraram queixa não ficaram satisfeitas com o desfecho do caso.
“Você não tem a quem recorrer. Se todo mundo recorre a polícia, você está dentro da polícia sofrendo assédio, você vai para onde?”, diz uma outra mulher que também não quis ser identificada.
Uma PM do Piauí acusa a polícia de abafar os casos de assédio. “Eles procuram colocar, por ser um meio machista, a culpa na mulher. E não a culpa neles mesmos que são os causadores”, diz.
Segundo a Polícia Militar do estado, nos últimos três anos nenhuma denúncia formal de assédio foi registrada.
“A gente tem que tomar cuidado porque as próprias policiais têm sido vítimas de um crime, e que precisa ser investigado, que precisa ser explicitado”, afirma o pesquisador do Fórum Brasileiro de Segurança Pública Renato Sergio de Lima.
Uma Policial Civil diz que foi assediada durante meses. Ela é da Região Metropolitana de Belo Horizonte e foi trabalhar no interior de Minas logo no começo da carreira. Era a única policial feminina do lugar e passou a ser alvo do delegado da cidade.
“Perguntava se eu queria carona. Se eu queria que ele me levasse pra casa. Eu dizia que não e ele vinha me acompanhando o tempo todo. Até chegar perto de casa. Até no dia em que ele tentou me agarrar”, conta.
A partir daí, o assediador mudou de estratégia.
“Primeiro, eles tentam alguma coisa com você. Quando você fala que não ai eles passam para o assédio moral. Ai você não presta no serviço, você não serve para nada”, conta a vítima.
As marcas do assédio moral para ela é mais grave; ai vem a depressão. Vem até um fenômeno maior que é o suicídio”, conta o presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil/MG, Denilson Martins.
Você se sente um nada. Você se sente menos que um grão. Você não se sente nada”, lamenta a mulher.
Em nota, a Polícia Civil de Minas Gerais afirma que tem um conselho de ética ligado à Corregedoria-geral para acolher qualquer tipo de denúncia, inclusive as de assédio.
“Eu recorri dentro da própria instituição. Foi um erro porque a instituição não fez nada, só colocou panos quentes”, diz a mulher.
“Esse é o grande problema: a quem reclamar. Eu acho que nesta condição a mulher deveria buscar o controle externo das policias que é o Ministério Público”, afirma a secretaria nacional de Segurança Pública Regina Miki.

“Se a gente abaixar a cabeça, coisas como essas podem acontecer com mais gente”, afirma Katya Flávia de Queiros, soldado da Polícia Militar.

segunda-feira, 30 de março de 2015

Homem mata namorada grávida e entrega cabeça em delegacia

Ele alega que perdeu a cabeça com a traição.

Corpo de adolescente de 16 anos foi encontrado em uma viela na Zona Sul. Preso disse à polícia que assassinou jovem após ela confessar traição.


Do G1 São Paulo

Um homem confessou que matou a namorada e a decapitou na quinta-feira (26), no bairro de Pedreira, Zona Sul de São Paulo. Ele foi preso no sábado (28) após levar a cabeça a uma delegacia, onde se apresentou espontaneamente. Ele alegou que cometeu o crime após a adolescente de 16 anos revelar que o traiu com um amigo do casal. Ela estava grávida, segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP).
José Ramos dos Santos, de 23 anos, só se entregou no 1º Distrito Policial (DP), Sé, no Centro,  depois que o corpo da jovem Shirley Souza foi encontrado em uma viela do bairro na noite de sábado. O rapaz estava com a cabeça da vítima dentro de uma mochila e confessou ter matado a namorada, com quem mantinha o relacionamento havia cerca de um ano.
De acordo com os boletins de ocorrência registrados no 8º DP, Brás, e 98º DP, Jardim Miriam, ele informou aos policiais civis que já desconfiava da traição, mas que a suspeita ficou maior depois que a jovem engravidou, segundo ele, em um período em que eles estavam separados.
José contou que a garota foi morta na casa de seu irmão na noite de quinta-feira. Eles se encontraram, tiveram relações sexuais e discutiram por causa da traição. Quando a adolescente se preparava para tomar banho, José aplicou uma 'gravata' até ela desmaiar. Ele percebeu, pouco tempo depois, que a companheira estava morta. Por isso, foi até a cozinha, pegou uma faca e decapitou a vítima.
Em seguida, segundo a SSP, o homem enrolou o corpo da jovem em um edredom, amarrou o tronco e os pés e o escondeu atrás de um botijão de gás. A casa foi limpa para que o irmão não desconfiasse. Com o passar do tempo, o cadáver começou a cheirar mal e Santos decidiu levá-lo para a viela, onde o corpo foi encontrado por moradores.
Ao descobrir que a adolescente havia sido achada, ele foi até a delegacia e se apresentou à polícia. O caso foi registrado como homicídio qualificado e será investigado no 98º DP. O homem está preso, temporariamente.
G1 não localizou os parentes da vítima para comentar o assunto. A equipe de reportagem também não achou os representantes ou advogados do preso para falar.

Delegado com o burro na sombra: Ele aparece com US$ 194 milhões em banco na Suíça

Fernando Rodrigues

29/03/2015 - 04:00

Detetive e concessionários de serviços públicos no Rio também tinham conta na Suíça

Cento e noventa e quatro milhões e novecentos mil dólares. Este é o saldo que, segundo o HSBC da Suíça, constava na conta relacionada ao delegado aposentado da Polícia Civil de São Paulo e empresário do ramo de segurança Miguel Gonçalves Pacheco e Oliveira entre os anos de 2006 e 2007.

Mesmo com esse valor guardado nos cofres de Genebra —o que faz dele um dos dez brasileiros com mais dinheiro no banco suíço—, Oliveira não abriu mão de brigar na Justiça por uma aposentadoria mais robusta. Nos últimos anos, entrou com pelo menos oito ações para pedir revisão de seus vencimentos. Ganhou em parte delas e recorre naquelas em que perdeu. De acordo com o site de transparência do governo de São Paulo, ele recebe R$ 10 mil líquidos pelos serviços prestados à Polícia Civil.

Levantamento feito pelo UOL em parceria com o jornal “O Globo'' encontrou Oliveira e outros quatro servidores públicos ou de concessionárias de serviços públicos na lista de 8.667 correntistas do HSBC da Suiça. São eles um inspetor da Polícia Civil do Rio de Janeiro, um engenheiro da Secretaria Municipal de Obras carioca, um conselheiro da concessionária do Aeroporto de Cabo Frio e um ex-diretor da antiga concessionária do metrô do Rio, a Opportrans.

Todos os citados que foram localizados negaram ter contas no banco suíço, assim como qualquer irregularidade financeira. Oliveira não respondeu aos pedidos de entrevista.

Ao longo de sua carreira, Miguel Oliveira foi delegado-assistente do Departamento de Polícia Judiciária (Decap), órgão responsável pelas 93 delegacias da capital paulista. Como parte de seu trabalho, chegou a ser enviado a Miami e a Nova York para conhecer algumas experiências de combate ao crime organizado.

 

APARTAMENTO E CARRO DE LUXO
Em 1998, ele virou notícia pela primeira vez —numa meticulosa reportagem de Mario Cesar Carvalho— por conta dos bens e imóveis que possuía e pelo fato de, apesar de estar na ativa, ser dono de duas empresas privadas de segurança: a Vanguarda Segurança e Vigilância e a Nacional. A reportagem descreveu uma rotina de luxo, que começava num caro apartamento no bairro dos Jardins e que incluía um automóvel Volvo preto.

Além de delegado e empresário da segurança, Oliveira também teve incorporadoras. De 1994 a 2003, foi dono de pelo menos três: a MGPO, que fazia “locação, arrendamento, loteamento e incorporação de imóveis”, a Ibiuna Marina Golf Club, que construiu condomínios de luxo em Ibiúna (SP) e a Esplanada Pinheiros Empreendimentos Imobiliários. Em 2011, migrou para o setor de limpeza, fundando a Interativa Service.

Oliveira também tem também muitos imóveis em seu nome. Em São Paulo são pelo menos 5, segundo pesquisa feita em cartórios da cidade e na Junta Comercial. Um de seus apartamentos fica no prédio da senadora Marta Suplicy no Jardins e é justamente o endereço que aparece nos documentos do HSBC. O imóvel tem 633 metros quadrados e cinco vagas na garagem. Há 12 anos, custou-lhe R$ 1,1 milhão.

Mas esse não é o imóvel mais vistoso do delegado. Em 2010, ele informou à Junta Comercial de São Paulo um endereço na vila suíça de Montagnola, que fica perto da fronteira da Itália. Entre 2010 e 2012, Oliveira morou por lá.

O delegado ainda tem em seu currículo a fundação da ONG SOS Itupararanga, da qual é conselheiro fiscal. Criada em 2000, em Ibiúna, ela tem por objetivo preservar a represa e “ajudar no desenvolvimento sustentável da região”, informa seu site.

Segundo levantamento feito nos documentos do HSBC da Suíça, Oliveira aparece relacionado a duas contas numeradas. A primeira foi aberta no dia 10 de novembro de 2005 e a segunda, em 29 de dezembro daquele ano. Em 2006/2007, as duas estavam ligadas a três empresas offshores, que não apareciam relacionadas a mais ninguém dentro do banco. Trata-se da Hollowed Turf, com endereços na Suíça, em Liechtenstein, Ilhas Virgens Britânicas e Seychelles, da Hallowed Ground Foundation e da Springside Corporation.

Na tabela abaixo, dados sobre as contas de Pacheco e Oliveira e de outros servidores e ex-concessionários de serviços públicos (clique na imagem para ampliar):

Pelo menos mais um policial aposentado foi encontrado nas planilhas do HSBC: o inspetor da Polícia Civil do Rio Fernando Henrique Boueri Cavalcante. Segundo registros oficiais, ele ingressou na corporação em 1982 e se aposentou há dois anos, como inspetor de quarta classe, o que antigamente era conhecido como detetive. De acordo com o Sindicato dos Policiais Civis, um agente deste tipo recebe em torno de R$ 5 mil por mês ao fim de sua carreira. A conta relacionada a ele no banco de Genebra foi aberta em 11 de abril de 2000, e o saldo, em 2006/2007, era de US$ US$ 697 mil.

 

AEROPORTO DE CABO FRIO
Mauro Chagas Bonelli é outro servidor que surge na lista do HSBC. Desde 1986, ele consta como servidor da Secretaria de Obras da Prefeitura do Rio. Ao longo de sua carreira, participou da construção da Linha Amarela e do Parque de Madureira. Entre 1997 e 2000, foi coordenador geral de obras da cidade. Em 2013, trabalhou na reurbanização do entorno do Maracanã, com vistas à Copa do Mundo e aos Jogos Olímpicos. Naquele ano, concluiu mestrado em Engenharia Urbana e Ambiental na PUC-Rio, com uma dissertação intitulada “Sustentabilidade em Obras Públicas: O Caso do Parque Madureira”.

Nos registros do HSBC, Bonelli aparece relacionado a uma conta numerada aberta no dia 14 de dezembro de 1999 e que, em 2006/2007, tinha US$ 105 mil.

Murilo Siqueira Junqueira foi presidente da Flumitrens entre 1995 e 1998. Logo depois, Junqueira passou a trabalhar na operadora Costa do Sol, concessionária que até hoje administra o aeroporto de Cabo Frio. Formada por empresários que passaram por diversas empresas públicas do Estado, a Costa do Sol ganhou a concessão do aeroporto por 22 anos a partir de 2001. Junqueira foi presidente do conselho e presidente executivo do grupo. Hoje atua como conselheiro da Costa do Sol.

Nos documentos do HSBC, ele aparece associado a duas contas numeradas. A primeira foi aberta em 30 de abril de 2003 e ficou ativa até 22 de dezembro de 2003. Em 2006/2007, seu saldo estava zerado. A segunda foi aberta em 14 de março de 2003 e, em 2006/2007, tinha US$ 895 mil.

Hamilton de Souza Freitas Filho foi diretor administrativo e financeiro do Consórcio Opportrans, que era encabeçado pelo Grupo Opportunity, do banqueiro Daniel Dantas. Em dezembro de 1997, o Opportrans adquiriu, na Bolsa de Valores do Rio, o direito de explorar o serviço metroviário da capital fluminense.

O nome de Freitas Filho surge nas planilhas do HSBC relacionado a uma conta numerada que foi aberta em setembro de 1989 e que, em 2006/2007, tinha um saldo de US$ 10,2 milhões.

 

VALORES NO EXTERIOR DEVEM SER DECLARADOS
Enviar e manter dinheiro no exterior não é crime. Isso só acontece quando o contribuinte não declara à Receita Federal e ao Banco Central que mantém valores fora do país.

Nesse caso, o cidadão brasileiro pode ser processado por evasão de divisas e por sonegação fiscal. Se tiver cometido outro crime anteriormente, também pode responder por lavagem de dinheiro.

A Receita, o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), a Polícia Federal e uma Comissão Parlamentar de Inquérito aberta no Senado já investigam o caso.

Desde o dia 8 de fevereiro, o ICIJ (Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos), composto por 185 jornalistas de mais de 65 países, publica reportagens com base nas planilhas vazadas em 2008 pelo ex-técnico de informática do banco Hervé Falciani. No Brasil, a apuração é feita com exclusividade pelo UOL e pelo jornal “O Globo''.

Participam da apuração da série de reportagens SwissLeaks os jornalistas Fernando Rodrigues eBruno Lupion (do UOL) e Chico OtavioCristina Tardáguila e Ruben Berta (do jornal “O Globo”). Nesta reportagem também participaramTiago Dantas e Leonardo Guandeline (de “O Globo'').


sábado, 28 de março de 2015

Homem reage a assalto e atira nos assaltantes. Imagens fortes.


Explosão em fábrica de pólvora mata uma pessoa e deixa duas feridas em Santo Antônio do Monte

Causas do acidente ainda são desconhecidas, segundo a Polícia Militar. Empresa foi temporariamente interditada.

Um incêndio em uma fábrica de pólvora matou uma pessoa deixou duas gravemente feridas na manhã desta sexta-feira, em Santo Antônio do Monte, na Região Centro-Oeste de Minas Gerais. As causas do acidente ainda são apuradas. As vítimas foram socorridas com 70% dos corpos queimados e encaminhadas para o Instituto Regional de Saúde da Mulher.

De acordo com a unidade de saúde, o helicóptero do Corpo de Bombeiros foi para a cidade e vai transportar as vítimas para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte. Segundo o Sindicato das Indústrias de Explosivos de Minas Gerais (Sindiemg), o incêndio ocorreu no setor de galga da empresa Pólvora Ita. As polícias Civil e Militar e o Exército estão na fábrica, que foi temporariamente interditada para os primeiros trabalhos de investigação. 

A cidade de Santo Antônio do Monte tem tradição na produção de fogos e concentra alto número de acidentes em fábricas. Em julho do ano passado, quatro mulheres morreram em uma explosão. Um princípio de incêndio iniciou em um dos 150 galpões da fábrica. As vítimas não conseguiram sair do imóvel. Elas foram identificadas como Daiana Cristina Maciel, de 25 anos, Maria das Graças Gonçalves, de 42, Maria José de Soledade, de 27, e Marli Lúcia da Conceição, de 35.

Em setembro de 2013, uma pessoa morreu e outras duas ficaram feridas em explosão na empresa Polvo, que fica na comunidade Buritis. Em maio de 2012, duas pessoas morreram em acidente parecido na empresa Fogos Estrela. Em janeiro de 2011, foram duas mortes em uma fábrica na MG-429, no limite entre Lagoa da Prata e Santo Antônio do Monte.

Juiz da Comarca de Pompéu oferece ginastica usada pela para treinamento da SWAT americana.



Em média 100 pessoas aderiram ao um tipo de ginastica que se tronou epidemia em todo o pais chamada de CrossFit, que em Pompéu em Pompéu adota outro nome o CrossPeu por não ser franqueada.



  O CrossFit é um programa de treinamento de força e condicionamento geral que proporciona a mais ampla adaptação fisiológica possível para qualquer tipo de pessoa, independente de idade ou nível físico, gerando assim uma maior otimização de todas as capacidades físicas; são elas: resistência cardio-respiratória, resistência muscular, força, flexibilidade, potência, velocidade, coordenação, agilidade, equilíbrio e precisão.


Outro fato interessante é que em Pompéu os custos da atividades são bancados pelo Juiz da Comarca que iniciou sozinho com o Professor Dudu a atividade que acabou sendo adotada por centenas de Pompeanos de todas as idades.
Segundo o Professor Dudu quem se interessar pode procurar a praça de Esportes e fazer sua inscrição sem nenhum custos. Graças ao nosso Meritissimo Juiz Dr. Kleber.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Bancada da bala aprova projeto que torna hediondo crimes contra policiais.


Também tornam-se hediondos, com pena elevada, crimes cometidos contra parentes dessas autoridades, caso sejam praticados em razão dessa condição

PUBLICADO EM 26/03/15 - 15h23

FOLHAPRESS

Patrocinado pela chamada "bancada da bala", a Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (26) por 341 votos a 3 projeto que torna hediondo e eleva a pena para crimes cometidos contra militares, policiais, agentes carcerários e bombeiros.

Também tornam-se hediondos, com pena elevada, crimes cometidos contra parentes dessas autoridades, caso sejam praticados em razão dessa condição.

Pelo texto, que ainda precisa passar por nova votação no Senado, serão considerados hediondos os assassinatos e a lesão corporal dolosa grave (que resulta em incapacidade ou deformidade permanente, enfermidade incurável, perda ou inutilização de membro e aborto) contra esses agentes do Estado e seus parentes.

Hoje, a pena prevista no caso do assassinato de um policial militar, por exemplo, é de 6 a 20 anos de cadeia. Caso o projeto seja aprovado definitivamente e sancionado, a punição sobe para 12 a 30 anos.

No caso de lesão corporal grave contra esses agentes de Estado, a pena será aumentada de um a dois terços.

Além do aumento da punição prevista, as regras para a progressão das penas se tornam mais rígidas.

De acordo com o relator da proposta, o deputado João Campos (PSDB-GO), em média dois policiais são mortos a cada dia no exercício de sua função.

"O policial quando mata, mata no estrito cumprimento do dever legal. Mata em legítima defesa própria ou de terceiro. Quando existem essas mortes é para defender a vida. Não confundam a morte do policial com a morte daquele que efetuou o delito e confrontou o policial", disse o deputado Moroni Torgan (DEM-CE).

O PT tentou incluir na proposta o aumento de pena também para mortes e lesões corporais praticadas de forma criminosa por policiais, mas não conseguiu. PT e PPS também tentaram evitar que lesão corporal grave contra os policiais se torne crime hediondo, sob o argumento, entre outros, de que manifestantes podem ser enquadrados nessa categoria, mas foram igualmente derrotados.

O PT, entretanto, obteve o compromisso de que em até 60 dias a Casa irá votar um projeto que cria regras mais rigorosas para a apuração de mortes e lesões corporais decorrentes da ação de agentes do Estado.

O projeto acaba com a possibilidade de esses casos serem justificados apenas pelo chamado auto de resistência. Atualmente, no caso de resistência à prisão, o Código de Processo Penal (Decreto-Lei 3.689/41) autoriza o uso de quaisquer meios necessários para que o policial se defenda ou vença a resistência. E determina que seja feito um auto de resistência, assinado por duas testemunhas.

Pelo projeto em tramitação na Câmara, sempre que a ação resultar em lesão corporal grave ou morte, deverá ser instaurado um inquérito para apurar o fato, e o autor poderá ser preso em flagrante.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Quartel Geral é sitiado por bandidos que levam 10 mil dos correios.

Homem roubou R$ 10 mil e fugiu com comparsa sentido Abaeté.

Polícia Federal compareceu ao local; ninguém foi preso.



A cidade não tem nenhum Policial Civil e apenas dois PM por turno o que a torna o Quartel mais inseguro do Brasil.

Do G1 Centro-Oeste de Minas
Criminosos invadiram uma agência dos Correios de Quartel Geral, no Centro-Oeste de MG e levaram dinheiro após terem acesso ao cofre. Conforme a Polícia Militar (PM), o fato aconteceu nesta quarta-feira (25) e os suspeitos conseguiram fugir. O crime foi registrado pelas câmeras do local e as imagens foram entregues à Polícia Civil.

Segundo a ocorrência, um homem armado com um revólver invadiu um estabelecimento, na região central e rendeu um funcionário de 30 anos. Em seguida, ele exigiu que a vítima fosse até o cofre da agência e entregasse dinheiro. Minutos depois o suspeito fugiu levando R$ 10 mil. Ninguém ficou ferido.
Ainda de acordo com a PM, o assaltante fugiu sentido a cidade de Abaeté com um comparsa que o esperava em uma moto perto do local. As imagens gravadas pelo circuito interno da agência foram recolhidas para investigação. A Polícia Federal compareceu ao local e os militares ainda procuram pelos criminosos.

terça-feira, 24 de março de 2015

Festival de musica Grito Rock será realizado em Bom Despacho dia 28 de Março

O evento reunirá músicos e bandas de toda região


Em 2015 será realizada a segunda edição do Grito Rock no município de Bom Despacho, Minas Gerais. Acontecerá dia 28 de março, sábado, a partir das 15:00 horas, na Praça da Estação, sendo o evento gratuito.
O Grito Rock é um festival integrado que acontece no Brasil e em outros países desde 2007. É uma plataforma de troca de tecnologias de produção colaborativa e circulação de artistas e agentes da música e artes em geral.
 Na ocasião, acontecerão diversas atividades, com destaque para a apresentação de 6 músicos e bandas bondespachenses e de outros municípios da região. A organização deste evento fica por conta do Coletivo Cultural Independente In-Pulso.
Esta é uma iniciativa popular que tem como objetivo estabelecer uma rede colaborativa de trabalho no campo das contra-culturas, da cultura, da arte e do social, agregando agentes culturais de múltiplas inspirações. Organizados como coletivo cultural, sem funções lucrativas ou político-partidárias, tais agentes possuem como missão primordial estimular a produção e circulação do material artístico independente, sob novos moldes de comportamentos, subjetividades, circulação de ideias e modos de fazer do produto cultural, visando também um sentimento de pertencimento e apropriação por meio da arte.
 Enfim, o Coletivo In-Pulso busca de uma forma pulsante impulsionar a cultura no município e região de Bom Despacho.
1/2

Pompéu: Flagrante de assalto a supermercado

Ladrão armado com faca rouba duas lojas em Pompeu

Um rapaz portando uma faca roubou celulares e dinheiro nas lojas Zini Motos e espaço Ozzo na manhã desta terça nas proximidades da Escola Ministro Francisco campos. Ele chegou no local com uma faca ameaçou esfaquear as atendentes e levou dinheiro e celulares. O ladrão não usava mascara e parecia ser menor de idade. Até o fechamento desta matéria ele não havia sido preso pela policia.
Qualquer informação pelo numero 3523 1205 ou 190.

Câmera filma assalto no Supermercado São Luiz em Pompéu. Veja o video e ajude a identificar os bandidos.





Segundo a Policia a dupla já praticou vários assaltos na região.
Informaçoes pelo numero 37 35231205 ou 181.

Caminhoneiro é flagrado com arrebites em Bom Despacho

sábado, 21 de março de 2015

Concurso PM: Polícia Militar abre edital para Curso de Formação de Soldados.

Inscrições começam no dia 18 de maio, parágrafo o preenchimento de 1.410 vagas; Veja o edital

Polícia Militar de Minas Gerais abriu edital parágrafo O Processo de Seleção de Candidatos Para o Curso de Formação de Soldados (CFSd) fazer Quadro de Praças da PM (QPPM) Para o ano de 2016. Como Inscrições estarão abertar A Partir de 18 de maio ATÉ 18 de junho Deste ano, par o preenchimento de 1.410 vagas, SENDO 1.269 Pará o sexo masculino e 141 do Pará o sexo feminino. A Remuneração básica inicial E de de R $ 3.049,05.

O Processo Seletivo Tera Quatro Fases: 1) Provas de Conhecimentos (Objetiva e dissertativa); 2) Exames de saúde (Preliminares e Complementares); 3) Teste de Capacitação Física (TCF); e 4) avaliações Psicológicas e Exame toxicológico. Como Provas de Conhecimentos (prova Objetiva e dissertativa) dados TEM provável nenhum dia 2 de agosto de 2015.
Click here to Acessar o edital
Inscrições
Como Inscrições Serao Feitas via internet, no sítio da Polícia Militar (www.policiamilitar.mg.gov.br), No Informado Período. Quem figado dificuldade de Acesso à internet, poderá comparecer, Durante o Período de Inscrição, diretamente da nas Unidades Relacionadas nenhuma Anexo B do edital, munido de Documento de Identidade e CPF, parágrafo Realizar SUA Inscrição.
A taxa de Inscrição, no valor de R $ 122,95, must Ser paga APENAS NAS Agências do Banco do Brasil, Mercantil do Brasil, Bradesco, Bancoob OU Itaú, ate o dia 19 de junho de 2015.
Requisitos
INTERESSADOS OS devem ter Entre 18 e 30 Anos (completos ate o dia 1º de março de 2016), Mínimo de 1,60 m de altura, ensino médio completo e comprovantes de quitação com Obrigações eleitorais e Militares. Além Disso, o Candidato NÃO PODE ter tatuagem Que seja Visível enquanto ELE estiver usando OS Uniformes da PM.
O Curso
O Curso de Formação de Soldados Para O QPPM funcionará na Escola de Formação de Soldados (EFSD) da Academia de Polícia Militar (APM) e Tera Duração de 11 meses, com Início previsto parágrafo 1º de março de 2016 e Término em fevereiro de 2017. He Será, Realizado em andamento integral, regime de Dedicação Exclusiva com e Atividades Escolares extraclasse APOS como 18h, Sábados EAo inclusivas, domingos e Feriados.
Validade
O concurso PMMG Tera Validade de APENAS 30 dias, prorrogáveis ​​Uma Única vez e POR igual Período, lembrando Que o edital NÃO Contempla uma reserva de vagas parágrafo OS Portadores de Necessidades Especiais, Tendo em vista a Natureza fazer carga

PONTO DE VISTA: Vereador repudia articulações políticas em Pompéu para tentar enganar o povo.

Servição: Ladrão rouba pão e dinheiro em padaria de Nova Serrana e e pego pela PM.

sexta-feira, 20 de março de 2015

DEPUTADO SARGENTO RODRIGUES SOLICITA, NOVAMENTE, A CONVOCAÇÃO DOS EXCEDENTES DO CONCURSO DE PERITO CRIMINAL DA PCMG


DSC 0110 optOs parlamentares da Comissão de Segurança Pública da ALMG aprovaram requerimento, de autoria do deputado Sargento Rodrigues, nesta quarta-feira, 18/3/2015, para que sejam convocados todos os candidatos excedentes ao cargo de PERITO CRIMINAL da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais – Edital 2013.
O deputado Sargento Rodrigues já havia apresentado requerimento nesta Comissão, em 2014, mas o pedido foi renovado diante da resposta encaminhada contendo apenas parecer técnico da ACADEPOL, órgão executor da Polícia Civil, que não contemplava medida ou justificativa. “Reitero, mais uma vez, a necessidade de convocação dos candidatos excedentes para assumir os cargos de perito criminal da PCMG”, disse.
Segundo o parlamentar, os Peritos Criminais são responsáveis pela criação da prova material que norteia as investigações, auxilia as autoridades judiciais com subsídios técnicos necessários ao convencimento quando ocorre um delito. Além disso, o Estado de Minas Gerais necessita de mais efetivo, principalmente, de acordo com o estudo da Organização das Nações Unidas (ONU) que demonstra que deve existir um perito criminal para cada 5 mil habitantes, sendo que hoje há 1 profissional para cada 22 mil habitantes.
Dessa forma, a Lei Orgânica da Polícia Civil previu um número maior de vagas da carreira, como também há necessidade de recursos humanos para auxiliar na política estadual de segurança pública que lida atualmente com o crescimento dos índices de violência.
DSC 0094 optSINDPÚBLICOS
Os parlamentares também aprovaram requerimento, de autoria do deputado Sargento Rodrigues, para que seja realizada audiência na comissão de segurança pública com a presença do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Minas Gerais (SINDPÚBLICOS-MG) para debater e adotar as medidas necessárias quanto a valorização da carreira dos ressocializadores do sistema prisional e socioeducativo administrativo: analistas, assistentes e auxiliares, como também o piso salarial e igualdade no tratamento dado à segurança pública.
O Diretor Estadual do SINDPÚBLICOS, José Lino, afirmou que o objetivo do sindicato é levar a situação que os servidores administrativos vivem no sistema prisional e socioeducativo. “Essa carreira é fundamental no processo de ressocialização dos presos e adolescentes. Desde que foi criada, em 2004, ela tem sido constantemente desvalorizada pelo Estado de Minas Gerais. Nós precisamos que esta comissão se sensibilize com o nosso clamor, que é buscar a valorização para os servidores que trabalham com ressocialização”, explicou. O Diretor Estadual ressaltou, ainda, que é necessário, urgentemente, que o Estado reestruture a carreira dos servidores socioeducativos e prisionais, os reconhecendo como servidores da segurança pública. José Lino destacou, também, que o piso de um auxiliar, hoje, é de R$532,00.
Ao final, o deputado Sargento Rodrigues agradeceu a presença dos servidores do SINDPÚBLICOS e afirmou que acertará com o sindicato uma data para a realização da audiência pública para que os servidores possam mobilizar a categoria.

Motorista que atropelou e matou casal em Pompéu vai para presídio


Ele havia pago fiança e tinha sido liberado; após ser ouvido, foi preso.
Casal morreu em atropelamento na MG-164; mulher estava grávida.

Bárbara AlmeidaDo G1 Centro-Oeste de Minas
Bicicleta de casal atropelado em Pompéu (Foto: Polícia Militar Rodoviária/Divulgação)Motorista atropelou casal que estava em uma bicicleta (Foto: Polícia Militar Rodoviária/Divulgação)
O motorista, de 46 anos, que atropelou e matou um casal em Pompéu foi encaminhado para o presídio nesta quarta-feira (18). Segundo a Polícia Civil, após o acidente na última terça-feira (16), ele pagou fiança de R$ 3 mil e foi liberado. Depois de ser chamado para o interrogatório, o motorista foi preso e deve responder por homicídio doloso, quando há intenção de matar, e embriaguez ao volante.
De acordo com o delegado da Polícia Civil, o mandado de prisão preventiva foi expedido após investigações. "No dia do acidente o motorista foi encaminhado para o delegado de plantão em Bom Despacho que entendeu que cabia fiança no caso. Após o inquérito passar para minha responsabilidade entendi que o homem assumiu o risco de matar ao dirigir em uma rodovia embriagado", explicou o delegado Carlos Eduardo Viera.
O casal de 37 e 34 anos, morreu após o atropelamento. Eles estavam em uma bicicleta. A Polícia Civil informou que o casal tinha um filho de 11 anos e que familiares das vítimas contaram que a mulher estava grávida de dois meses. O delegado, responsável pela investigação, aguarda o laudo de necropsia para confirmar a informação. "O laudo de necropsia que fica pronto até 15 dias irá apontar se a mulher estava grávida. O caso causou muita comoção em toda a cidade de Pompéu. A prisão do suspeito foi importante até para impedir represálias. Temos que tomar muito cuidado até com a criança, filho do casal, pois informações dão conta que ele está em choque e tentando cometer crime contra a própria vida" comentou.
De acordo com a Polícia, o inquérito será concluído em até dez dias e encaminhado para a Justiça. O motorista que é lanterneiro e não têm passagens, pode ser levado a júri popular e pegar de seis a 20 anos de prisão. "Ainda vou ouvir os policiais militares que atenderam a ocorrência e também as testemunhas para encerrar o inquérito. Se a Justiça entender como duplo homicídio doloso ele pode pegar até 20 anos de prisão. Além disso também tem o crime de embriaguez ao volante que da até três anos de prisão", declarou Carlos Vieira.
O acidente
Segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMR), O motorista possivelmente embriagado seguia sentido a cidade de Pompéu na MG-164 e ao tentar fazer uma ultrapassagem em local proibido atropelou as vítimas que estavam em uma bicicleta, no km 63 da rodovia.
De acordo com a PMR, com o impacto da batida, o corpo do homem foi mutilado e o da mulher dele arremessado. Após o atropelamento o motorista tentou fugir com o corpo do ciclista. Ele percorreu cerca de um quilômetro, mas foi abordado pela polícia.
O cabo Rodrigo Otacílio informou que o casal saía do serviço e seguia para casa. "Eles estavam em uma estrada vicinal quando foram atingidos pelo motorista. O homem morreu no local e a mulher chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos. Já o condutor do carro estava com sinais de embriaguez e não ficou ferido", disse.
Ainda conforme a ocorrência, o suspeito não passou pelo teste do bafômetro, mas foi atendido por um médico que apontou o uso de bebida alcoólica.
Os corpos das vítimas foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) de Bom Despacho. A bicicleta do casal ficou destruída. O carro teve danos de porte médio, foi apreendido e encaminhado para o pátio credenciado do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).